Alias Grace – Quando a culpa e a inocência são uma coisa só

Com o crescente sucesso de The Handmaid’s Tale, já era de se esperar que outras obras da escritora Margaret Atwood fossem adaptadas para televisão. O que ninguém sabia era que essa resposta viria tão rápido. Trazida pela  Netflix para o restante do mundo, Alias Grace é uma produção da emissora canadense CBC e conta a história real de Grace Marks, acusada de assassinar seu patrão e a governanta da casa onde trabalhava, quando tinha apenas 15 anos.

Com uma agressividade extremamente sutil, a trama é narrada pela protagonista de voz doce e carismática, o que literalmente carrega o público para dentro de sua inocência quase que de forma imediata. Aqui já asseguramos a maior força da série: a narrativa e os diálogos. Esses dois fatores merecem destaque não apenas pela sua qualidade palpável, mas também por se concretizarem como perfeitos exemplos de como esses dois pontos, sendo bem construídos, podem carregar uma série inteira.

O seriado é basicamente a experiência que ele proporciona: a medida em que as sequências de cena deixam claro o contraste entre o que a narrativa diz e o que aconteceu, sua percepção da história é capaz de assumir formas e conceitos que você dificilmente acreditaria mesmo considerando que eu seria capaz de explicar. A negação sobre a acusação clara é tão repetitiva e de forma tão óbvia que incomoda, e é nesse incômodo que o seriado realmente acontece.

A simplicidade harmoniosa é a parte mais importante da identidade desse programa, e também pode ser facilmente notada na direção de arte: figurinos costurados a mão, muito trabalho artesanal. Suas cores e sua música também transcrevem essa identidade, muito bem idealizada pela protagonista, que entrega tudo o que a personagem lhe exige sem dificuldade alguma.

O elenco traz o trabalho fenomenal da canadense Sarah Gadon, a britânica Rebecca Liddiard, nosso eterno Chuck Bartowski, Zachary Levi, e a sempre maravilhosa Anna Paquin, de True Blood. A minissérie, que adaptou o livro homônimo de Atwood, conta com seis episódios de aproximadamente 40 minutos cada, todos inteiramente disponíveis no serviço de streaming.

Confira o trailer:

 

Jôicy Franco

Social Media, 24 invernos.
Basicamente um desenho animado tentando sobreviver no mundo real.

Comments

comments

About the Author

Jôicy Franco
Jôicy Franco

Social Media, 24 invernos.
Basicamente um desenho animado tentando sobreviver no mundo real.