Ao infinito e além com No Man’s Sky

Imagine um game que simule a exploração do universo. Um game onde é possível ser o capitão de sua própria nave e navegar por entre as estrelas e o infinito que abraça galáxias e planetas? Pois bem, pode parar de imaginar. Porque esse game já existe.

A primeira vez que No Man’s Sky deu as caras foi há mais de dois anos, na E3 2014. Com uma apresentação de menos de três minutos, o game conseguiu deixar todos arrepiados e de orelhas em pé. Agora, anos depois de seu anúncio e próximo de seu lançamento, muitas informações saíram. E é isso que vamos abordar aqui, enquanto aguardamos ansiosamente pela versão final do game.

Explorar, catalogar flora e fauna, descobrir relíquias, estudar culturas e artefatos que podem revelar histórias e segredos de antigas civilizações e, também, ensinar idiomas alienígenas para que você consiga interagir com outras espécies inteligentes. Esse é o core  que torna No Man’s Sky tão interessante. Toda nova descoberta feita por você ficará registrada, ou seja, caso você seja o primeiro a encontrar, seu nome ficará creditado como o desbravador daquilo. E, sim, você vai poder batizá-las também. Quando um player encontrar o que você descobriu e nomeou, sua marca estará lá.

Além da exploração, o game conta com um sistema de sobrevivência. Cada planeta possui seus próprios desafios e perigos, sendo necessário o uso de estratégias e tecnologias para sobrevier em seu ecossistema. Tecnologias como upgrades para sua espaçonave, itens para aprimorar seu traje espacial e diferentes tipos de munição para sua arma. Toda tecnologia que você for usar precisa ser fabricada ou comprada através de comércio entre outros players ou raças alienígenas (se você tiver fluência no idioma da raça com a qual está negociando, isso lhe trará vantagens e informações privilegiadas). Caso você opte por fabricá-las, serão necessários recursos específicos, que podem ser garimpados dos planetas que você vai explorar, escaneando e procurando na superfície, no fundo do oceano ou no subsolo.

Se você não for do tipo Indiana Jones, você tem a liberdade para se tornar comerciante ou até mesmo um pirata espacial. Sim, você pode ter seu próprio Walmart intergaláctico ou apenas saquear e desfrutar de um bom rum. As opções beiram o infinito.

De acordo com o estúdio Hello Games, criador do título, são mais de 18 quintilhões de planetas para serem descobertos, cada um com suas próprias características. Tudo isso possível graças à geração procedural, na qual o game inteiro é baseado. Cada forma de vida, som ou folha de grama é gerado de forma aleatória, dando vida a uma imensidão de novas possibilidades.

O game não vai ter telas de loading. Você pode simplesmente entrar em sua nave e sair em direção ao espaço em busca de um novo planeta ou estação espacial sem ter que ficar aguardando que algo seja carregado.

Tudo isso é coroado com uma incrível trilha sonora entregue pela banda 65daysofstatic.

Eu não sei vocês, mas acompanhando as notíciais e news do game desde o seu trailer na E3 2014, eu estou mais do que ansioso para começar a minha jornada. E essa espera está próxima de terminar, pois o game será lançado dia 9 de agosto para PS4 e PC.

CURIOSIDADES: Site oficial do game

 

Herick Zerunian

Publicitário, nas horas vagas caçador de monstros, assassino de templários, matador de dragões, sobrevivente de apocalipse nuclear. Deus = vida = Bacon.

Comments

comments

, , , , , , ,
Herick Zerunian

About Herick Zerunian

Publicitário, nas horas vagas caçador de monstros, assassino de templários, matador de dragões, sobrevivente de apocalipse nuclear. Deus = vida = Bacon.
View all posts by Herick Zerunian →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.