Atypical – Tem série que é como se fosse um abraço

Cada dia mais focada no conteúdo de nicho, nossa amada Netflix lançou mais uma Original com temática bastante específica. Atypical conta a história de Sam, um adolescente diagnosticado dentro do espectro autista que passa por todos os acontecimentos da vida de um jovem e precisa lidar com as adaptações diárias e constantes devido à sua condição física. O protagonista – que ganha vida através do ator Keir Gilchrist – completou dezoito anos e apesar das complicações do colégio e suas limitações, ele decide que está na hora de conseguir uma namorada e claro, sua independência.

Felizmente, a novidade não está sozinha. Atypical faz parte de uma parcela de Originais Netflix de grande representatividade e, acima de qualquer outra coisa, imensa necessidade de serem colocados no ar. Com o foco, na maioria das vezes, no público adolescente, a gigante da streaming já trouxe para os holofotes outras séries com forte teor didático como por exemplo as polêmicas 13 Reasons Why e Dear White People, levantando bandeiras extremamente importantes de forma racional e, por vezes, muito sensível. Dessa forma, a plataforma oferece maneiras práticas de lidar com alguns temas, principalmente quando ressaltamos a questão do público jovem que, em geral, carece de apoio e informação diariamente.

A novidade do canal oferece um ritmo surpreendente que consegue estabilizar sua proximidade com o público de maneira muito rápida e simples. Seus personagens são bem definidos e, apesar de parecer ser uma série extremamente focada no protagonista, o tempo de tela é muito bem distribuído entre a família de Sam, dando espaço para dramas paralelos como sua irmã mais nova, que vive nas sombras da condição do irmão apesar de ter sonhos grandiosos para o seu futuro. Outro ponto bastante positivo é a questão da série conseguir dosar o drama com seu humor de maneira muito singela, o que funciona perfeitamente na identidade da série adolescente.

Algo que pode incomodar o público é a falta de espaço no desenvolvimento da narrativa. Com apenas oito episódios de em média 30 minutos, Atypical trouxe uma primeira temporada que é facilmente vendida devido seu carisma, mas em vários pontos é possível notar uma certa pressa no desenvolvimento, que infelizmente, acaba utilizando de recursos básicos – como o diálogo entre personagens – para explicar fatos da história que sem dúvidas, mereciam um desenvolvimento mais detalhado. Claro que eu, particularmente, não sou nenhuma especialista no espectro autista mas, no contexto geral de público, acredito que o universo em questão foi muito bem apresentado, tanto nos quesitos gráficos quanto na excelente atuação de Gilchrist, que consegue conquistar o público sem grandes esforços.

A novidade não traz apenas as adaptações táteis de Sam, todos os dias, no quesito físico. O show nos entrega também a condição emocional de cada personagem, desde a dependência da mãe, desenvolvida em anos de dedicação árdua e constante, até mesmo a vergonha do pai, que teme que seus colegas de trabalho saibam da condição de Sam. Outro ponto que vale a pena ser destacado é a presenta de atores de outras etnias sem que isso seja motivo ou destaque de suas personalidades. Drª Julia, psiquiatra de Sam, é oriental e nem por isso seu consultório é decorado com as famigeradas lanternas de papel, assim como seu melhor amigo Zahid, que mesmo com fortes traços do oriente médio não é um nenhum nerd sedento por tecnologia e cheio de sotaque. Ambos são exatamente isso: a psiquiatra e o melhor amigo.

O carisma da trama adolescente e a simplicidade de uma pessoa dentro do espectro formam um combo adorável que provavelmente vai te fazer suar pelos olhos, além de também surgir uma grande possibilidade de um desejo muito forte de sair abraçando as pessoas. O show já foi renovado para a segunda temporada, e está com os seus oito episódios disponíveis na plataforma desde o dia 11 de agosto.

Confira o trailer:

.

Jôicy Franco

Social Media, 24 invernos.
Basicamente um desenho animado tentando sobreviver no mundo real.

Comments

comments

About the Author

Jôicy Franco
Jôicy Franco

Social Media, 24 invernos.
Basicamente um desenho animado tentando sobreviver no mundo real.