Comida de mãe. Comida com afeto.

Essa semana comemoramos o Dia das Mães, e não tenho como comemorar esses Dia das Mães sem homenagear a minha mãe, a rainha do forno e fogão.

Resumidamente, minha mãe aprendeu a cozinhar porque era a responsável pelo almoço da casa, quando ainda era adolescente. Meus avós trabalhavam arduamente em uma horta e ela, era responsável pelos afazeres do lar.
Desta forma, minha mãe se tornou uma cozinheira, das boas, que fez roscas e salgadinhos pra vender e que até teve o seu próprio restaurante. Não tem nada a ver o fato dela ser minha mãe, mas a feijoada dela é a melhor que eu já comi na vida.
Ela nasceu com o dom da cozinha. Ela dispensa receitas e medidas para cozinhar para 5, ou para 500 pessoas. Ela só vai, veste um avental e faz a mágica acontecer. Minha mãe cozinha com amor e tempera com sentimentos bons.
Sabe aquelas pessoas que passam energia através das coisas? Minha mãe faz isso com os alimentos. Desde o cuidado ao escolher o alimento, ou a atenção no manejo dos ingredientes e por fim, a ternura com a comida pronta para ser servida.
Talvez a minha mãe não saiba, mas ela tem um poder imenso, e esse poder se resume a oferecer amor, em forma de comida.
Eu posso ler todos os livros de cozinha e aprender todas as técnicas culinárias do mundo, mas Mãe, nem eu, nem ninguém vai cozinhar igual à você. Orgulhe-se disso, sua comida tem afeto.
Feliz dia das mães.
Mariana Nogueira
Chef por formação, Social Media por destino e colecionadora de aprendizados. Acredita que a vida só faz sentido se tiver o nosso tempero.

Comments

comments

About the Author

Mariana Nogueira
Mariana Nogueira
Chef por formação, Social Media por destino e colecionadora de aprendizados. Acredita que a vida só faz sentido se tiver o nosso tempero.