Conheça a maior ilha de areia do mundo

Fraser Island sempre esteve na minha bucket list antes de vir para a Austrália. Dunas de areia, mata atlântica, praias paradisíacas e lagos de água cristalina, tudo isso dentro da maior ilha de areia do mundo!

Quem mora aqui sabe quão difícil é fazer planos. Então, em uma semana, decidi fazer uma roadtrip por dez dias, de Gold Coast a Cairns e Fraser não podia ficar de fora do roteiro. O tour escolhido foi o de três dias e duas noites na Ilha, mas há outras opções como de um ou dois dias. Tudo depende da sua disponibilidade de tempo e orçamento.

Assim como no Brasil, no final do ano, as cidades turísticas da Austrália são muito frequentadas tanto por locais, quanto por turistas. Quando chegamos em Airlie Beach, o tour para Whitsundays estava quase esgotado, então, para não acontecer a mesma coisa com Fraser, reservamos com antecedência.

 

O passeio

Para ir até lá, infelizmente, o preço é um pouco alto. Gastamos AU$400 com transporte, acomodação e comida (inclusos). Vale ressaltar que qualquer um pode ir até a Ilha e não necessariamente precisa pagar pelo tour, basta ter um veículo 4×4. No entanto, não aconselho, visto que é difícil andar por lá e, nesse caso, acredito ser importante ter um guia te acompanhando.

A maioria dos carros sai do ferry em Rainbow Beach, aproximadamente duas horas de Noosa Heads, mas há opções de saída de Harvey Bay. Dentro da Ilha há uma parte na qual se encontram as casas, um mercadinho, padaria e lugar para abastecer os carros.

A comida é simples, mas gostosa e tem até opção para vegetariano e alérgicos a glúten. Cada carro do tour – estávamos em quatro, no total de 33 pessoas – fica responsável por uma parte, seja para cozinhar ou limpar, tanto no almoço quanto no jantar. É muito interessante o espírito de equipe que o guia cria dentro dos grupos.  Já a acomodação, consiste em quartos com três beliches e um banheiro. Também é simples, mas melhor que muito hostel que já passei.

 

As belezas de Fraser Island

Por ser uma Ilha muito grande, há diversos lugares para serem visitados. Desde córregos, lagos até praias. No primeiro dia, visitamos o famoso Lake Mckenzie. Infelizmente, o dia estava nublado e a água não estava tão clara quanto costuma ser, mas, mesmo assim, estava lindo! Apesar de ser um lago, parece uma praia, visto que ele é formado por areia, inclusive muito boa para fazer esfoliação.

No dia seguinte, seguimos direto para as Champagne Pools, conhecidas como piscinas naturais, que se formaram em meio as pedras que ficam na beira do mar. A cor da água é linda e a temperatura é ideal para o calor que faz na Ilha! O lugar me lembrou muito Snapper Rocks, meu cantinho preferido em Gold Coast.

Depois de lá, fomos até o mirante Indian Heads. Como qualquer ponto da Austrália, a vista é maravilhosa, com uma energia incrível! Para chegar até lá, o carro para na praia e tivemos que subir em meio as pedras e a mata atlântica, durante dez minutos. Mas valeu muito a pena!

Em seguida, paramos no navio naufragado Maheno, um dos cartões postais da Ilha. Para quem gosta de aulas de história, esse é um lugar muito interessante. Ele estava a caminho do Japão para ser transformado em sucata e, em meio a uma tempestade, foi parar em Fraser Island, onde se encontra desde então.

Para finalizar o segundo dia de tour, visitamos o Eli Creek, um córrego de água pura e cristalina, na beira da praia. Ficamos cerca de uma hora e meia curtindo a praia, jogando vôlei com uma rede improvisada e ouvindo música.

No último dia, o único lugar que visitamos foi o Lake Wallaby. Para chegar até lá, há uma trilha de 45 minutos em meio a mata atlântica, porém, caminhando na areia. Confesso que pensei um pouco se eu realmente deveria fazer, pois único sapato que eu tinha eram minhas havaianas, mas foi muito tranquilo e valeu a pena. O lago é lindo demais, de água verde escura, em meio a dunas de areia. Ele é famoso pelos peixinhos que ficam ao redor dos banhistas comendo a pele morta. Um ótimo spa natural!

Além dos lugares incríveis, você conhece pessoas do mundo inteiro. Durante a noite, no lugar onde ficamos hospedados, todo mundo se reúne para conversar, contar suas histórias de vida e beber uns bons drinks!

Raphaela Viscardi

Jornalista, meio curitibana e meio mirassolense. Sonhadora como uma pisciana nata, acredita que o mundo é muito grande para ficarmos em um lugar só. Não tem maturidade para open bar nem open food.

Comments

comments

, , , ,
Raphaela Viscardi

About Raphaela Viscardi

Jornalista, meio curitibana e meio mirassolense. Sonhadora como uma pisciana nata, acredita que o mundo é muito grande para ficarmos em um lugar só. Não tem maturidade para open bar nem open food.
View all posts by Raphaela Viscardi →