Coxinha de mortadela: quem é quem na guerra política que vivemos

Houve um tempo em que as maiores discussões entre os brasileiros eram se a bolacha se chamava biscoito (ou o contrário, amigo carioca) ou se a torcida do Corinthians é, de fato, maior que a do Flamengo (não é!). Bons tempos…

Esse período de paz acabou em 2014, ano de eleição, mais ou menos quando a ex-presidente (sim, “ex”, sejamos honestos), Dilma Rousseff, inventou a corrupção, ou melhor,  quando o brasileiro,  que, outrora esteve deitado eternamente em berço esplêndido,  descobriu que existia essa tal de corrupção no país. Desde então, caro leitor, o bicho tá pegando…

Nossas referências

O Brasil pós-apocalíptico ficou ainda mais dividido após as eleições daquele ano e, como bons fãs de futebol, não seria diferente tratarmos assuntos tão sérios como tratamos nossos rivais no esporte.

FlaxFlu político

A atual classe artística brasileira pouco se manifesta sobre determinados assuntos. A política,  digamos que não seja um assunto de grande conhecimento das celebridades tupiniquins. Peguemos como exemplo o cantor/ator/modelo/apresentador de programa dominical Márcio Garcia que, em um debate sobre o impeachment, com a não menos talentosa, Letícia Sabatella, disse que “não adianta querer provar qual lado é melhor, é como no futebol, o cara que torce pro Santos nunca vai dar o braço a torcer que o Palmeiras é melhor…” Filósofo nato.

Vamos ao que interessa: de que lado estão os roqueiros nessa história?

A resposta poderia ser um simples “à esquerda, sempre”, afinal, tem coisa mais chata do que roqueiro de direita?!

Explico: é comum que toda aquela história de sexo, drogas e rock and roll, o anti-conservadorismo e muitas outras bandeiras sejam associadas ao posicionamento de esquerda dentro do rock. O punk, por exemplo, é a vertente do rock que mais se posiciona como de esquerda (apesar do Johnny Ramone). Dave Mustaine sempre se colocou como um conservador, Roger Moreira é um conserv… Na verdade, se entrarmos na polêmica a fundo, o vocalista do Ultraje a Rigor tem o pensamento liberal (economicamente falando), mas fora da esfera econômica se limita a agredir (verbalmente) todos que discordam dele, tendo sua imagem mais associada às polêmicas em que se mete do que ao som que faz com a sua banda.

Quem mais acompanha o vocalista do Ultraje a Rigor nessa empreitada?

Lobão, o mesmo que já pediu voto para o Lula, usou camiseta do MST na Globo e se tornou um neoconservador dos mais empenhados.  Fã de Olavo de Carvalho, o cara tem surtado nas redes sociais com discursos odiosos contra a esquerda e algo que ele vem chamando de “marxismo cultural” e o caralho. A decepção com o PT parece ter sido grande que ele até jurou sair do país nas últimas eleições. Porra, Lobão!

Recentemente foi noticiado que alguns de seus shows foram cancelados por causa da baixa procura por ingressos. Sabe o que ele disse? Que isso é perseguição do PT.  Porra, Lobão!

Lobão – Me Chama

 

O Cachorro Grande – sim, eles ainda existem -, recentemente lançou seu novo álbum, Electromod, e a faixa título já deu o que falar. Na música, o vocalista desfere uma grande quantidade de xingamentos. Então, se você usa coque no cabelo, tem barba, votou alguma vez no PT, ainda que só pra não deixar aquele senador mega delatado ser eleito, não ouça essa música, aliás, evite a banda… Vai que…

 

Comunistas Bolivarianos do Diabo

O vocalista do Detonautas, Tico Santa Cruz, é o “testa de ferro” dos roqueiros de esquerda no Brasil. O cara comprou de forma contundente a briga pelo o que ele chama de golpe e diariamente é bombardeado de xingamentos nas redes sociais. Tico, além de debater com boa parte dos fãs, vez ou outra, tem sido chamado para debates na rádio ou televisão, o que tem gerado um novo tipo de antipatia das pessoas, afinal, o cara já não tinha a melhor das famas depois de sua participação em um desses realities shows de subcelebridades.

Por outro lado, Tico ganhou admiração de muita gente que sequer conhecia a sua banda, afinal, em tempos em que falar mal da esquerda gera lides, ir à contramão tem a sua parcela de rebeldia e faz com que o cara mereça, no mínimo, ser respeitado, não?

 

O Dead Fish é conhecido por ser uma das bandas mais politizadas do país. Desde o seu primeiro álbum, a banda se posiciona sobre os mais variados assuntos de forma bem clara: “somos uma banda de esquerda”. Revoltados com a invasão de neoconservadores em suas redes sociais e em shows eles deram a letra: “se você é de direita e cola no nosso show, tá no lugar errado”.

Talvez um pouco intolerante pra uma banda de ideais libertários, não é mesmo?

A banda aproveita as redes sociais para levantar a ideia de golpe. Em algumas músicas de seu último disco, Vitória, eles deixam claro o que pensam do momento atual do país.

Dead Fish – Gigante e Inseguro

Obs: perdão pelo gosto duvidoso da “montagem” do clipe.

 

O cantor Leoni é outro que vem batendo fortemente na mesma tese que o Tico Santa Cruz, Dead Fish, Fernanda Takai, João Gordo e tantos outros.  O que complica para o lado de quem discorda dele, é que, além de muito inteligente, dificilmente ele perde a razão e entra no que chamamos de FlaxFlu,  pois,  apesar de ser abertamente a favor de Dilma,  jamais desce o nível do debate. Aí complica né, reaça?!

Leoni – Melhor Pra Mim

 

E antes tarde do que nunca: FORA TEMER!

Danilo Ruffus

Jornalista, fadigado e resmungão. Sofre da síndrome do underground, acredita no apocalipse zumbi e ainda brinca de ter banda de rock.

Comments

comments

, , , , , , , , , , , , ,
Danilo Ruffus

About Danilo Ruffus

Jornalista, fadigado e resmungão. Sofre da síndrome do underground, acredita no apocalipse zumbi e ainda brinca de ter banda de rock.
View all posts by Danilo Ruffus →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.