Depois de você

Estava andando pela cidade e resolvi parar no drive. Ao fazer meu pedido, percebi a cara de surpresa da moça: “Uma batata e um sorvete”?

– Isso mesmo.

Pensei como tanta coisa na minha vida é normal.

Tudo dentro do esperado pelo outros, por que um pedido no drive deveria ser também?

Agi de forma tão natural quando você me deixou. Não fiz drama, não peguei o primeiro ônibus para a cidade que você mudou, não liguei implorando, nada disso.

Mudei o número do meu celular e exclui o Facebook. Nada além disso, nada!

Não cortei o cabelo e nem mudei a cor. Não me enfiei nos estudos, nem na academia. Minha vida seguiu o curso em que estava quando você ainda estava aqui. Continuei a fazer o curso que você tinha me indicado.

Tudo parecia normal, para quem estava de fora.

Para mim, os dias estavam sem cor, a comida não era mais necessária e sorrir tinha se tornado opcional. Percebi as roupas mais largas e alguns olhares de preocupação.

Passaram-se alguns meses e tudo voltou ao normal. Mas eu já não sabia o que era normal sem você, você era o meu normal – ter mensagem sua, saber o dia que iria chegar, esse era o meu normal.

Precisei me reinventar depois de você. Para os outros, eu poderia parecer bem, apenas um pouco mais triste. Mas eu sei que nunca mais fui a mesma, nunca mais!

Não consigo olhar o amor com a mesma ternura de antes, nem acreditar mais que algo dure para sempre, a não ser a minha saudade de você.

Não consigo mais tanta coisa depois de você. Cumpro vários compromissos sociais, mas se eu realmente queria estar neles? Na maioria não. Você costumava me salvar nessas ocasiões, me salvava de tanta coisa. Acho que meu erro começou ai, eu agreguei tanta coisa a você que sem você estou tendo que aprender tudo outra vez.

Mas para o pessoal do trabalho está tudo bem. Para o senhor da venda da esquina, estou ótima. Para os parentes, superei. Mas só eu sei que estou me reconstruindo lentamente, que por dentro estou em obras por tempo indeterminado.

Quem tentou entrar aqui para trazer cor à minha vida só serviu para derrubar algumas barreiras que estavam de pé, mas ninguém se compara a você – e estou começando a achar isso ótimo! Não quero mais ninguém aqui para fazer o estrago que você fez, para isso eu dispenso, obrigada!

Nem eu sei se quero alguém, talvez seja melhor criar essa barreira como tanta gente tem. Até o dia que eu perceber que tudo isso passou, que tudo acabou. Igual ao meu delicioso sorvete com batata.

Caroline Carvalho

Estudante de letras, troco salgado por doce, tentando ser fitness, amo gatos, livros e Netflix. Canceriana.

Comments

comments

About the Author

Caroline Carvalho
Caroline Carvalho

Estudante de letras, troco salgado por doce, tentando ser fitness, amo gatos, livros e Netflix. Canceriana.