Dicas para fazer trabalho voluntário no exterior

Realizar um intercâmbio de trabalho voluntário é uma ótima oportunidade para fazer o bem ao próximo, conhecer lugares fantásticos, imergir em uma cultura nova, além de dar um significado maior às suas férias. No entanto, é importante buscar algo que vai lhe dar prazer e que irá acrescentar na vida das pessoas que você encontrar. Há diversas opções, desde trabalhar com crianças, idosos, animais, meio ambiente, etc.

Roll_call_at_AIESEC_France's_Spark_2013

Algumas agências de intercâmbio possuem esses programas de voluntariado no exterior, no entanto, há duas plataformas internacionais que eu, particularmente, acredito que valem muito mais a pena viajar por elas, pois sua experiência será completa. Bom, vamos lá:

Quem me conhece sabe que sou suspeita para falar da AIESEC, já que trabalhei dentro da organização quase dois anos e tive a oportunidade de realizar meu intercâmbio, para Colômbia, por ela. Como a minha experiência foi incrível, ela será sempre a minha primeira recomendação.

Resumidamente, é uma plataforma internacional que possibilita o desenvolvimento pessoal e profissional de jovens estudantes por meio de programas de trabalho em equipe, liderança e intercâmbio. O programa de voluntariado se chama Cidadão Global e está presente na América Latina, África, Leste Europeu e Ásia. São inúmeras as oportunidades de trabalho e tudo depende do país que você escolher. É um intercâmbio de curta duração, o qual você consegue realizar até nas suas férias de julho, por exemplo. Mas, também pode ir em qualquer época do ano.

Em primeiro lugar, você deve ir até a AIESEC  mais próxima, a qual geralmente está vinculada à uma Universidade. Qualquer universitário ou recém-formado, entre 18 e 30 anos, pode realizar o Cidadão Global. Há uma taxa, que varia de acordo com cada escritório, porém, garanto que é muito mais barato que qualquer agência de intercâmbio. Ao se cadastrar, você terá uma equipe que dará todo o apoio desde encontrar a vaga ideal até os preparativos antes do embarque. Além disso, você também terá o suporte da AIESEC do país que você escolheu.

A maioria das vagas oferece acomodação e refeição no local. No meu caso, fiquei na casa de uma família colombiana e, alem disso, eu tinha café da manhã, almoço e lanche da tarde todos os dias que eu frequentava a ONG (eu trabalhava de segunda a quinta, durante os 45 dias que estive em Bogotá). Além disso, trabalhei com mais 12 intercambistas, de todas as partes do mundo, que foram essenciais para minha experiência. E o melhor de tudo é que, por ser uma organização sem fins lucrativos, o intercâmbio pela AIESEC tem um baixo custo.

Essa plataforma foi desenvolvida para quem quer ter a experiência de um trabalho no exterior sem ter que pagar nada – ou quase nada – por isso. Também há diversas opções de trabalho e, no caso do Workaway, o principal objetivo é incentivar a cultura de vida em comunidade e da troca, normalmente não de dinheiro por um serviço, mas de acomodação e alimentação.

O primeiro passo é realizar um cadastro no site e pagar por uma taxa para entrar em contato com os anfitriões das vagas. Se você pretende viajar sozinho, o valor é de $29, já para casais ou dois amigos, custa $38. Diferente da AIESEC, não há uma restrição de idade, basta ser maior de 18 anos. Você realiza tudo pela web e trata diretamente com o seu host. O site é muito fácil de navegar e, por meio dos filtros, você encontra a sua vaga ideal.

Há trabalhos que duram semanas ou meses. Esse tipo de atividade é muito interessante, é bem parecido com aqueles trabalhos de au pair, que muitas pessoas realizam nos Estados Unidos. A AIESEC é mais voltada para trabalhos em ONGs, escolas e Universidades. Já no Workaway, você pode encontrar desde tarefas domésticas, até trabalhos em start up.

Independente da plataforma que você escolher para realizar seu trabalho no exterior, tenha em mente que trabalho voluntário é coisa séria e você irá intervir diretamente na vida de várias pessoas. Por isso, é importante encontrar um projeto que combine com você e garanto que é uma oportunidade incrível para você sair da sua zona de conforto. Além de fazer o bem, você cresce tanto pessoal, quanto profissionalmente.

E ai? Vai encarar essa aventura? Nos conte nos comentários qual tipo de trabalho você gostaria de realizar!

Raphaela Viscardi

Jornalista, meio curitibana e meio mirassolense. Sonhadora como uma pisciana nata, acredita que o mundo é muito grande para ficarmos em um lugar só. Não tem maturidade para open bar nem open food.

Comments

comments

About the Author

Raphaela Viscardi
Raphaela Viscardi

Jornalista, meio curitibana e meio mirassolense. Sonhadora como uma pisciana nata, acredita que o mundo é muito grande para ficarmos em um lugar só. Não tem maturidade para open bar nem open food.

Be the first to comment on "Dicas para fazer trabalho voluntário no exterior"

Leave a comment

Your email address will not be published.