Entrevista: bate papo com a Urbana Legion

A Urbana Legion foi criada em 2014 em homenagem à Legião Urbana. Parece óbvio, mas a ideia de ter uma banda que relembre a memória de grandes artistas não é tão simples assim. Sendo uma banda-tributo brasileira de rock’n roll (e não apenas uma banda cover, como muitos pensam que ela seja), se mostram artistas com longo currículo e pertencentes a projetos já consolidados no Brasil.

Integrantes:

Egypcio (Tihuana) – vocais
Marcão (Bula / Charlie Brown Jr / A Banca) – guitarra
Lena Papini (Bula / A Banca) – baixo
PG (Tihuana) – bateria

 

“Existem muitas bandas que fazem o mesmo por este país, mantendo vivo o legado de seus textos, tão abruptamente calados em 1996, em decorrência de sua precoce morte. São admiradores, clones até, covers ipsis litteris, mas nenhum ganhou tanta notoriedade e personalidade quanto o Urbana Legion. Um baú está para ser aberto e a Urbana Legion teve a honra de inaugurá-lo. Que sejamos agraciados com mais músicas boas de Renato Russo e que ele, 21 anos depois de sua morte, ainda inspire jovens a compor com a alma e o coração”.
(Bruno Gouveia – Biquíni Cavadão)

E agora que já contamos um pouquinho sobre a história da banda, vamos acabar com a curiosidade? Se liga em tudo o que conversamos com os integrantes da Urbana Legion!

Tipzine: Como é, para vocês, homenagear uma banda com tanta história e tanto reconhecimento no país como a Legião Urbana?

Urbana Legion: Uma honra, por se tratar de uma obra tão sagrada.

Tip: Vocês gravaram recentemente um clipe com a música “Apóstolo São João”, que na verdade era um manuscrito do Renato Russo, mas não havia sido gravado. Como foi o processo de composição em colocar a melodia nessa letra? Foi inspirada exclusivamente no trabalho do Renato/Legião ou vocês buscaram no trabalho de cada um colocar um pouco da identidade de vocês na música?

UL: Foi bem difícil, desafiador, pois se tratando de algo tão sagrado, a responsabilidade triplica, mas partimos do primeiro pensamento. Tínhamos que soar a algo que já existia com mais uma pitada das nossas influências. No final, ficamos muito felizes com o resultado.

Tip: Muitas bandas começam suas carreiras fazendo cover, de onde veio a ideia de fazer o caminho contrário, tendo em vista que vocês já são músicos consolidados no mercado?

UL: Não somos uma banda cover. Somos a união de músicos consagrados homenageando o maior poeta da música brasileira: Renato Russo e a Legião.

Tip: Nos anos de 2015/16 o site Tenho Mais Discos Do Que Amigos (TMDQA) listou as 100 mais tocadas nas rádios brasileiras e o resultado não foi nada animador: nenhuma banda de rock entre as mais tocadas. Diante do atual cenário do mainstream nacional, em que o sertanejo predomina todo e qualquer espaço, quais seriam os ingredientes, na opinião de vocês, para que uma banda quebre essa barreira e consiga colocar o rock novamente nos holofotes?

UL: O momento não se passa por “bandas”, e sim pela falta de muitas delas. Precisamos de mais novidades, bandas novas, com letras boas, contundentes, atitude!!! Falta movimento e união.

Tip: Há pretensões maiores para o projeto? Como lançamento de disco e turnês?

UL: Estamos fazendo turnês desde 2015, vários festivais, passando por vários estados. Lançamos Apóstolo São João, nossa primeira parceria inédita com Renato Russo. Virão outras e, quem sabe, um EP?

Tip: Rio Preto busca consolidar um festival anual de rock, assim como já ocorreu com Ribeirão Preto (João Rock). É perceptível  que eles não possuem a mesma dimensão de festivais como o Villa Mix, por exemplo. A longo prazo, vocês  acreditam que esses festivais consigam conquistar espaço similar aos de outros gêneros? Principalmente em cidades interioranas desse mesmo porte.

UL: Esperamos que sim, acreditamos no Festival Planeta Rock. Parabéns aos idealizadores por acreditarem em um festival de rock e não simplesmente nadar a favor da maré.

Tip: O Renato Russo era um cara que se posicionava de maneira bastante clara sobre toda a cena política do país, abominava o fascismo, toda e qualquer opressão. Levantava bandeiras sobre a diversidade, enfim, era um cara muito a frente do seu tempo. Se estivesse vivo, sentiria nojo desse congresso conservador (assim acreditamos). No entanto, nos dias de hoje, poucas são as bandas que se posicionam sobre assuntos políticos, talvez por medo da reação de alguns fãs. Como vocês se posicionam quanto a isso?  Não é incômodo ver um fã de vocês, seja nesse trabalho, ou nas respectivas bandas, defendendo ideias de alguém como o Bolsonaro, por exemplo?

UL: Difícil responder essa pergunta, pois Renato não está mais entre nós. O mundo mudou muito nesses quase 30 anos, hoje temos redes sociais (diversas), nas quais as pessoas se sentem “juízes” por trás de uma máquina e criticam tudo e a todos. As pessoas estão se dividindo e, às vezes, fica difícil ou até impossível saber de qual “tribo” você faz parte.

Tip: Se pudessem ter a oportunidade de dar uma dica para aquelas bandas que estão começando, o que diriam?

UL: Acreditar no trabalho, ter um propósito, ser original e trabalhar muito, mas muito mesmo!

Tip: Como vocês estarão no Planeta Rock, deem uma dica para as pessoas que vão curtir o festival aproveitarem o máximo.

UL: Estamos ansiosos e felizes. Estaremos iniciando a nova turnê no Planeta Rock e faremos um show novo com músicas inéditas. Nos vemos dia 11/agosto. Com certeza nós vamos nos divertir.

Tip: O que o publico pode esperar da banda no Planeta Rock?

UL: Um grande show de rock, repleto de grandes sucessos do nosso eterno poeta Renato Russo.

Queremos agradecer à Urbana Legion que aceitou falar conosco. Ficamos muito felizes pela oportunidade do bate papo e, claro, vamos prestigiando o show da banda que acontece no Planeta Rock, na sexta-feira, dia 11. Esperamos ter contado um pouco mais sobre esse projeto sensacional feito por músicos extremamente respeitados.

(As perguntas da entrevista foram criadas pelos jornalistas Danilo Ruffus e Even Vendramini, parte da equipe Tipzine.)

Comments

comments