Eu quero a sorte de um amor tranquilo…

Deixe as cenas de ciúme para as memórias da adolescência e comédias românticas, afinal elas só funcionam por lá.

“Eu quero a sorte de um amor tranquilo”, como dizia Cazuza.

Quero querer estar com você, desejar por esse momento, e quando ele chegar, sentir o tempo parar, me sentir abraçada por você, seu aconchego e sua paz.

“O mundo anda tão complicado”, como meu querido Renato Russo cantou, quero que você seja meu ponto de equilíbrio, minhas palavras de carinho quando alguém poderia falar com dureza – afinal, o que o mundo lá fora tem a nos oferecer?

Em um clima hostil, com pessoas sem amor, quero que o nosso lugar não seja atingido pela dureza que cega. Que vejamos a dureza que nos cerca, mas que ela não pule nosso cercadinho, que de lá as pessoas possam sentir só cheiro de café fresco.

Que o costume não te cegue para o meu sorriso espontâneo, que meu olfato não se acostume com o seu cheiro que é tão bom e nossa pele nunca deixe de se arrepiar.

Que a nossa rotina tenha outro nome, e nunca enjoe.

Não quero utopia, quero apenas que sejamos sempre eu e você, um para o outro. Tem coisa mais maravilhosa que olhar alguém e enxergar a alma? É só isso que eu desejo.

Caroline Carvalho
Estudante de letras, troco salgado por doce, tentando ser fitness, amo gatos, livros e Netflix. Canceriana.

Comments

comments

About the Author

Caroline Carvalho
Caroline Carvalho
Estudante de letras, troco salgado por doce, tentando ser fitness, amo gatos, livros e Netflix. Canceriana.