German Lorca, o “contador” de histórias

German Lorca nasceu no dia 28 de maio em 1922, na cidade de São Paulo. Lorca descobriu seu talento para a fotografia um pouco mais tarde, aos 26 anos, formado na faculdade de Ciências Contábeis pela Liceu Acadêmico. Em 1940, abriu o próprio negócio e dedicou-se a carreira por mais de dez anos.

No ano de 1949, entrou para o Foto Cine Clube Bandeirantes (FCCB), associação de fotógrafos que introduziam novas tendências na fotografia. A transição aconteceu exatamente nesse momento da sua história. Lorca fechou seu escritório contábil e em 1952 abriu seu estúdio fotográfico para continuar a fazer os trabalhos que já realizava parcialmente junto a sua antiga profissão. Apesar de nunca ter estudado fotografia, aprendeu na prática ousando em cada detalhe. Sua paixão por imagens fez com que escrevesse seu nome dentre outros grandes nomes na história da fotografia brasileira. Sua primeira câmera fotográfica foi uma 35mm com fole. German realizou um trabalho em uma retífica de motores que rendeu mais dinheiro do que a profissão que exercia, então fez da fotografia industrial a porta de entrada no universo da fotografia.

Sendo membro do foto clube, registrou grandes momentos como a foto nomeada de Malandragem, em 1949, À procura de Emprego, 1948 e Apartamentos, 1951, dentre outras grandes imagens.
Em 1954, foi oficializado como fotógrafo das comemorações do IV Centenário da Cidade de São Paulo e desde então entregou-se formalmente à fotografia, principalmente na área de publicidade, onde obteve grande sucesso e reconhecimento. A partir dos anos 50, German estabeleceu-se no mercado como um dos principais fotógrafos de publicidade do país.

Aero Willys, 1964

O olhar do fotógrafo volta-se principalmente às cenas da vida cotidiana, registrando imagens que transbordam poesia ou que causam certa estranheza. Lorca fez parte decisiva na renovação da fotografia moderna no país. Seu estilo de fotografar vai desde temas mais sociais até o tratamento compositivo mediante o claro-escuro. German Lorca ganhou grandes prêmios como, por exemplo, o Prêmio Colunistas pela revista Meio & Mensagem, nos anos de 1985 e 1989.

A seguir, confira a entrevista que concedeu ao Centro de Produção Audiovisual do Sesc de Bom Retiro:

O grande fotógrafo é citado no livro A Fotografia Moderna no Brasil, de Helouise Costa, publicado em 1995 pela editora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ):

 A Fotografia Moderna no Brasil, 1995

E também lançou o livro A São Paulo De German Lorca, pela editora Cosac Naifyonde expressa sua visão sobre São Paulo de forma única.

                A São Paulo De German Lorca, 2013

Selecionamos algumas de suas grandes obras. Confira a visão desse ilustríssimo fotógrafo:

À procura de emprego, 1948

Pernas, 1960

Malandragem, 1949

Apartamentos, 1951

Fogo no bonde, a revolta dos passageiros, 1947

O demônio e o padre, 1956

Micheli Zingaro

Apaixonada por fotografia, tem 22 anos, formou-se em Publicidade e Propaganda e com a fotografia tenta passar outras coisas que admira como psicologia, artes, jornalismo e arquitetura, assuntos esses que estão ligados dentro do nosso universo.

Comments

comments

About the Author

Micheli Zingaro
Micheli Zingaro

Apaixonada por fotografia, tem 22 anos, formou-se em Publicidade e Propaganda e com a fotografia tenta passar outras coisas que admira como psicologia, artes, jornalismo e arquitetura, assuntos esses que estão ligados dentro do nosso universo.