Músicas incríveis ao redor do mundo que o intercâmbio me apresentou

 

Pedi para alguns amigos de diversos países que me indicassem uma música que gostam. That’s a wounderful idea!

Era para ser a minha listinha de boas músicas ao redor do mundo mas, afinal, o que é meu nessa viagem de culturas, cores e vidas tão diferentes? A nossa lista das maravilhosas músicas ao redor do mundo conta muito mais história do que eu poderia escrever aqui. Por isso, alguns dos amigos que eu fiz aqui na LAL School, aqui em Cidade do Cabo, me ajudaram a encontrar preciosidades musicais que eles gostam de ouvir.

Agora, aproveite essas dicas e enjoy these amazing songs: uma lista com As maravilhosas músicas que meus amigos ouvem ao redor do mundo:

BÉLGICA

Começar pela indicação de minha amiga Aline é uma bela maneira de falar sobre a diversidade que você pode conhecer durante um intercâmbio! A família dela é de Ruanda, onde ela também morou. Mas, hoje ela vive em Luxemburgo, na Bélgica. A cidade fica bem pertinho de Bruxelas, onde ela me explicou que é preciso ir se você quiser encontrar entretenimento, já que Luxemburgo é muito menor e calma.

Começando, então, pela Bélgica, quando a Aline me indicou o Straume, pensei que tivesse sido uma grata surpresa! Um rapaz com cara de estabanado, uma música dançante e letras criativas. Um clipe gravado no meio de Bruxelas me ajudou a entender um pouco do que ela contava sobre a cidade.

Mas, o meu preferido foi o que ela mesma indicou! Olha essa mistura de excentricidade, dança e uma direção de arte que me levou lá para um dos meus filmes preferidos ‘O Fabuloso Destino de Amélie Poulain’:

E quando eu pensei que era uma grata surpresa…. NÃO! Ele já teve um sucesso musical que eu tenho certeza que você vai relembrar e sair cantarolando em 3, 2, 1: Alors On Danse

 

RUANDA

E aí que a Aline ama a África! E, claro, não ia deixar de me indicar um som de Ruanda. Prepare seu coração. É muita fofura que vem a seguir! King James canta baladinhas e faz clipes de amor na escola, sim senhores. Não faço ideia do que ele está dizendo, mas só pode ser fofo, né? (Aline, confio em você).

Das faixas que eu ouvi, vai a mais chiclete e com a palavra maaais longa no nome:

 

MADAGASCAR

AQUI É REGGAE!!! Chegou a parte que ninguém, nem os nativos na língua vão conseguir acompanhar a letra. A Eva fala francês, mas também sabe malagasy (língua oficial em Madagascar) e arrisca um pouco espanhol. Vocês vão ver lá embaixo, na faixa extra. Mas, fica aqui agora porque a minha roommate vai te apresentar uma reggaera raíz que ela curte bastante.

O Llyricson (é, eu também achei que estava escrito errado, tipo lyrics, mas é isso mesmo) é da Guiné! Esse cantor é mais cosmopolita que o pessoal todo aqui junto. Morou em Nova Iorque e se estabeleceu em Paris e gravou algumas coisas na Jamaica. Ufa. E agora, o som dele que ela me indicou e eu curti:

 

ÁFRICA DO SUL

Claro que essa lista precisava de um up local! Diretamente de um amigo que fiz nos cafés da vida, veio um dos meus gêneros musicais preferidos! RAP! Já estava curiosa há um tempo para conhecer mais raps de outras origens que não fosse a norte americana. Um ótimo achado foi Cassper Nyovest. Gostei de várias músicas, mas aqui vai uma indicação para colocar na playlist ‘motivação’ do dia:

 

TURQUIA

Eu perguntei pro meu amigo Enes sobre as músicas que tocam nas rádios do país dele e, para minha surpresa, ele disse que não costumam tocar músicas estrangeiras. Eles realmente adoram as músicas turcas e ouvem isso o dia todo. Meu espanto? Pensar que no Brasil nós passamos o dia todo ouvindo apenas um ou dois estilos nacionais repetidamente, além de uma avalanche de música internacional de um país só.

E falando em rap… a indicação dele me pareceu que tem um pouco de influência, ouve só:

 

IRÃ

E para desmistificar mais um pouco… música iraniana! Pensou que o clipe ia ser de um jeito tradicional e específico? Ok, vamos às indicações da Tala e da Sogo. As duas amam música e muita festa. “No Iran tem festa todo dia!”, elas contaram. A língua oficial lá é a persa, o que torna mais rica essa experiência de ouvir as músicas do país.

E a indicação delas, para além do roteiro, tem uma produção com muitas cores e maquiagens marcadas. E POR FAVOR, alguém assiste ao minuto 3:33 e diz que eu não estou ficando maluca!

 

EXTRAS

Minha amiga de Madagascar disse que também amava um cantor latino… adivinhem quem?

E, porque sim, mais um rap. Agora o iraniano que a Tala me apresentou.

Thais Fernandes
Jornalista de agricultura, de café, de cultura, de gente, de viagens. Avoada. Feminista em transformação. Andando devagar, com fone de ouvido pendurado no pescoço e coração flutuando no peito. É brega, mas é sério.

Comments

comments