Nike sendo Nike

Nos Estados Unidos, o mês de fevereiro é reservado para a Consciência Negra. O país, que até os anos de 1960, tinha um bebedouro para brancos e outro para negros, entre vários outros absurdos que separavam a população pela sua cor de pele, vive, ainda nos dias de hoje, grande preconceito e discriminação, não apenas contra negros, mas também contra estrangeiros.

Aproveitando a simbologia desta data, a Nike lançou, no último domingo (12), uma campanha a favor da igualdade, “Equality”.

O filme, que possui 1 minuto e 30 segundos de duração, conta com a participação de grandes estrelas do esporte como LeBron James e Kevin Durant do basquete, Serena Williams do tênis, Megan Rapinoe, jogadora de futebol, Dalilah Muhammad, campeã olímpica dos 400m com barreiras e Gabby Douglas, ginasta. A narração fica por conta do ator Michael B. Jordan (Creed: Nascido Para Lutar e Quarteto Fantástico) e a canção A Change is Gonna Come é interpretada por Alicia Keys.

O comercial traça um paralelo para mostrar que, dentro do esporte, todos somos iguais e respeitados como indivíduos portadores de qualidades distintas, então, por que o mesmo não acontece na sociedade? As imagens são em preto e branco e a mensagem narrada é a seguinte:

É esta a terra que a história prometeu?
É neste campo de jogo
Onde vive o sonho de justiça e respeito mútuo
Onde você é definido por ações, não por suas visões e crenças
Por muito tempo, esses ideais se refugiaram nessas linhas
A igualdade não deve ter fronteiras
O vínculo entre os jogadores deve existir entre as pessoas
Oportunidade deve ser indiscriminada
O valor deve ofuscar a cor
A bola deve saltar da mesma maneira para todos
Se podemos ser iguais aqui, podemos ser iguais em todos os lugares”

.

Mauricio Colar

28 anos, publicitário (isso já diz tudo sobre mim)

Comments

comments

, , , , , , , , , , , ,
Mauricio Colar

About Mauricio Colar

28 anos, publicitário (isso já diz tudo sobre mim)
View all posts by Mauricio Colar →