O dia em que o racismo – mais uma vez – manchou uma partida de futebol

Everton Luiz chora após cânticos racistas da torcida do Rad (FOTO: AP)

Apesar de estarmos na metade do segundo mês de 2017, a sociedade ainda mostra claros momentos de falhas, principalmente em seu desenvolvimento. E mais um lamentável exemplo aconteceu neste final de semana, e no esporte mais popular do mundo. Para piorar, o episódio possui um tom ainda doloroso para os brasileiros por ter um conterrâneo entre os protagonistas, vítima da imbecilidade de um grupo de bandidos.

Pelo Campeonato Sérvio, o Partizan foi até o estádio do Rad para o clássico de Belgrado, capital do país europeu. E apesar de jogar fora de casa, o Partizan se impôs e conquistou três pontos após terminar a partida com 1 a 0 no placar. Mas não dá para dizer que o agora vice-líder sérvio venceu. Isso porque durante o jogo inteiro, o brasileiro Eduardo Luiz, com passagens pelo futebol do interior paulista e do Nordeste, foi hostilizado e insultado racialmente pela torcida do Rad.

Durante os 90 minutos, o brasileiro ouviu cânticos racistas da torcida adversária, além de ler faixas com o mesmo conteúdo. A reação foi imediata. Ao fim da partida, Everton mostrou o dedo do meio para a torcida adversária por conta das ofensas e logo depois foi às lágrimas. Com o gesto, foi punido com um cartão amarelo, dando início a uma confusão dentro de campo e, após isso, foi abraçado e consolado pelos companheiros de clube por conta do fatídico acontecimento. Em entrevista na saída do gramado, o brasileiro lamentou a atitude covarde dos torcedores e também criticou os jogadores do Rad por não terem parado o jogo em momento algum, mesmo sabendo de todos os insultos.

Everton Luiz foi consolado pelos companheiros de equipe após o jogo (FOTO: Miroslav Todorovic/AP)

Com os três pontos conquistados fora de casa, o Partizan agora é o segundo colocado do campeonato com 51 pontos. Mas esse fato não importa de nada. Novamente, a intolerância foi protagonista no esporte mais popular do mundo, manchando o que deveria ser uma festa.

Abaixo, o vídeo com os cânticos, o gesto de Everton e o consolo dos companheiros.

 

André Bastos
André Bastos (ou Dezão), 22 anos. Formado em Jornalismo e amante de esportes. Ama tanto que vai comentar sobre eles. Dicas, dúvidas e críticas serão aceitas.

Comments

comments

About the Author

André Bastos
André Bastos
André Bastos (ou Dezão), 22 anos. Formado em Jornalismo e amante de esportes. Ama tanto que vai comentar sobre eles. Dicas, dúvidas e críticas serão aceitas.