O dia que você chegou

Não esperava nada para aquele começo de semana. Nada de novo de qualquer cara que eu começasse a conversar, muito menos que as conversas frenéticas durassem mais do que dois dias e meio.

Era final de inverno e já havia me acostumado com o frio, tinha meu par de meias inseparáveis e a medida para o chocolate quente era para um só.

Já tinha me acostumado com a ideia do verão estar quase chegando, acabando assim com meus dias de frio, e me convencendo ao final de cada sessão da tarde/comédia romântica que aquilo não era pra mim.

Tinha combinado comigo mesma a deixar as expectativas morrerem de fome e não esperar nada além de um amor morno, que me desse uma companhia para levar aos jantares de final de ano em família e dizer que eu tinha alguém para me buscar ao sair do trabalho na sexta.

Sempre esperei e me doei demais às pessoas que me consideravam um número de celular. E, para falar a verdade, eu até que tinha me “acostumado” com isso, quase me tornei assim, mas não consegui.

E para quem não esperava nada naquele domingo à noite, teve a surpresa de um cinema para o final de semana; sem expectativas, como combinado antes, sem esperar que durasse mais do que aquele próximo final de semana.

Você chegou e fez esse final de semana durar, trouxe o calor do verão e mais uma xícara para o chocolate quente, tirou a poeira que eu trazia por dentro, esvaziou minhas prateleiras com os resquícios de pessoas que não se importaram e, mesmo com as lascas que aquelas madeiras carregavam, você as fez suportar tudo de bom que trouxe para mim, que é leve.

É paz e aconchego, é tudo o que eu ria ao final dos filmes e pensava não ser pra mim, mas que sentia apertar o peito e calava o pensamento para me convencer do contrário.

Você veio e me mostrou como tem brilho nos meus olhos, e que eles apenas olhavam a paisagem errada, uma pintura morta; abriu as janelas da minha alma para todas as cores que tem lá fora.

Você chegou para mostrar que quando a gente sente no fundo que merece mais, é porque realmente merece.

Eu aposentei meu par de meias para me aquecer com seus pés, e confesso que sempre fiz a receita do chocolate quente para dois, agora não jogo mais fora.

Caroline Carvalho

Estudante de letras, troco salgado por doce, tentando ser fitness, amo gatos, livros e Netflix. Canceriana.

Comments

comments

About the Author

Caroline Carvalho
Caroline Carvalho

Estudante de letras, troco salgado por doce, tentando ser fitness, amo gatos, livros e Netflix. Canceriana.