O que esperar de American Gods?

Cá estamos e a estreia mais esperada de 2017 está, finalmente, entre nós! Deuses Americanos chegou ao público no último domingo (30) com um episódio de pouco mais de uma hora, mas provou porque vêm fazendo tanto barulho.

Baseada na obra homônima de Neil Gaiman, American Gods conta a história de Shadow Moon, um homem que acaba de cumprir sua sentença de três anos de prisão. Na sua viagem de volta para casa, Moon é contratado pelo trapaceiro Wednesday como seu guarda costas para acompanhá-lo durante uma viagem que pretende cruzar os EUA. A missão? Reunir todos os deuses antigos, agora incorporados à vida americana, contra os novos deuses que se fortalecem no cotidiano do dia a dia.

Com uma exaltação visual e narrativa, o show pode até parecer simples, mas consegue se solidificar através do princípio da crença e sua temática mitológica perfeitamente contrastada à modernidade. Com uma constante batalha pela fé de seus cultos, American Gods é um exagero cinematográfico de fotografia implacável. Personagens peculiares, daqueles que você até deveria odiar, mas torce profundamente por eles, e uma sonoplastia que te embala completam o time.

Muito bem pensada, a trama, primeiramente, nos apresenta a natureza migratória das religiões para depois apresentar seu enredo propriamente dito. A estratégia se fez necessária para preparar o público para um desenvolvimento bastante particular. Bryan Fuller e Michael Green nos entregam uma realidade onde as barreiras entre o culto espiritual – com estátuas/rituais – e a devoção às tecnologias são personificadas e lutam de forma sangrenta pela adoração do seu povo.

Numa segunda linha temporal paralela à principal, o show nos mostra outro ângulo da história para aprimorar a construção da imagem “mutável” dos deuses, apresentando suas particularidades migratórias como nos primeiros dez minutos, onde assistimos a chegada de Odin à América. A poesia visual já garantida de Fuller, vai além do que se espera diversas vezes e nem assim perde seu lirismo. Aliás, reserve uns minutos apenas para deleitar esta abertura:

Com produção executiva do próprio Neil Gaiman, American Gods é uma fábula adulta já conhecida pela maioria das pessoas e trata sobre a busca por sua voz no mundo mesmo quando tudo parece perdido. A resposta, por sua vez, está centralizada entre duas forças maniqueístas. Produzida pela Starz e distribuida pela Amazon Prime Video – forte concorrente da Netflix -, a primeira temporada contará com oito episódios. Confira o trailer:

 

 

Jôicy Franco

Social Media, 24 invernos.
Basicamente um desenho animado tentando sobreviver no mundo real.

Comments

comments

About the Author

Jôicy Franco
Jôicy Franco

Social Media, 24 invernos.
Basicamente um desenho animado tentando sobreviver no mundo real.