Pablo Vittar é mais Rock and Roll que muita gente

Pabllo Vittar é daqueles acontecimentos que não poderiam ser mais oportunos. A cantora que vive o ápice de sua carreira artística surge num momento em que o país nunca esteve tão canalha e preconceituoso, com tanto acesso à informação e, ainda assim, ignorante.

Pablo se tornou em pouco tempo um fenômeno – e com a sua voz desafinada e tudo – é agora uma das queridinhas do grande público, inclusive com uma participação pra lá de especial no show da – limitada – cantora Fergie, no Rock In Rio deste ano. A presença de Pablo, para muitos, foi o ápice do show da cantora norte-americana.

Logo após o show, um fato curioso chamou a atenção de muita gente. Ao dar entrevista ao canal MultiShow, a cantora usava uma camiseta da banda Bad Religion. Para quem não conhece, o grupo californiano é considerado por muitos como o maior nome de toda uma cena punk rock que envolve o estado da Califórnia. O interessante é que a banda não é tão mainstream quanto outros nomes em que é possível facilmente usar a camiseta sem ser fã, objetivamente.

O fato chamou tanta atenção que até mesmo Greg Hetson, guitarrista da banda, elogiou a postura do país em aceitar uma cantora drag queen, como também elogiou o fato do punk rock ser reverenciado por aqui.

É inegável que vivemos um dos nossos piores momentos da história. Como já dito, mesmo com toda a informação a alcance da grande maioria, a sociedade insiste em caminhar a passos largos em direção ao passado.

Semana após semana nos vemos envolvidos em debates que já foram superados há algumas décadas em muitos lugares do planeta, mas aqui ainda se fazem necessários. Nós mal superamos a história do banco que foi censurado por meia dúzia de crianças aventureiras na política e já fomos surpreendidos por um juiz brincando com a capacidade do brasileiro de agir de forma preconceituosa e transformando orientação sexual em doença.

FECHEM OS PORTÕES DO INFERNO, POR FAVOR!

O lado bom é que… bom, não existe lado bom. Vivemos tempos sombrios, continuaremos vivendo tempos sombrios, e a tendência é piorar mesmo.

É importante que artistas como Pabllo Vittar não se calem e jamais se curvem diante de toda essa onda retrógrada e reacionária que tomou conta do país pois, por pior que o momento seja, quem poderia imaginar que o artista mais rock and roll desse momento tão sombrio que vivemos seria uma drag queen?

Máximo respeito e vida longa à Pabllo Vittar.

.

Danilo Ruffus

Jornalista, fadigado e resmungão. Sofre da síndrome do underground, acredita no apocalipse zumbi e ainda brinca de ter banda de rock.

Comments

comments

About the Author

Danilo Ruffus
Danilo Ruffus

Jornalista, fadigado e resmungão. Sofre da síndrome do underground, acredita no apocalipse zumbi e ainda brinca de ter banda de rock.