Prepare to Die – Trilogia Dark Souls

Sinopse:

Na Era dos Anciões o mundo era sem forma, encoberto por neblina. Uma terra de rochedos cinzas, árvores gigantes e dragões eternos. Em seguida, houve fogo, e com o fogo veio a disparidade. Calor e frio, vida e morte, e claro … luz e escuridão.

Da escuridão eles vieram e encontraram dentro da chama, as Almas dos Lordes. Nito, o Primeiro dos Mortos; A bruxa de Izalith e suas filhas do caos; Gwyn, o Senhor da Luz Solar, com seus fiéis cavaleiros; E o pigmeu furtivo, tão facilmente esquecido.

Com a força dos Lordes, eles desafiaram os dragões. Os poderosos raios de Gwyn rompiam em pedaços suas escamas de pedra. As bruxas teciam grandes tempestades de fogo. Nito desencadeou um miasma de morte e doença. Seath o Descamado traiu seus semelhantes e os dragões não eram mais. Assim começou a Idade do Fogo…

Mas em breve, as chamas vão desaparecer e só a escuridão permanecerá. Mesmo agora, há apenas brasas e o homem não vê a luz, mas apenas noites intermináveis. Entre os vivos são vistos aqueles que carregam o maldito Sinal das Trevas.

Dark Souls é uma trilogia de games de RPG e ação lançado pelo estúdio japonês From Software. A série de jogos, aclamada por sua dificuldade, possui outras grandes qualidades. Dentre elas, a incrível capacidade de imersão, direção de arte e level design.

Os games não possuem uma história linear com começo, meio e fim. Ela precisa ser decifrada e interpretada por meio de fragmentos encontrados em itens e diálogos com personagens que você irá encontrar durante sua jornada. O enredo é desenrolado como em uma poesia. E para encontrar todos os seus versos, é necessário explorar cada parte desse misterioso mundo corrompido.

Tudo é baseado no acúmulo de almas que você recebe toda vez que derrota algum inimigo ou chefe. Essas almas são usadas para evoluir seu personagem e itens. Para salvar seu progresso você precisa encontrar as fogueiras, locais que servem como ponto de descanso para recuperar seu HP (vida), usar as almas coletadas e, se for preciso, transportar-se entre os pontos do mapa onde você já tenha encontrado outras fogueiras.

A mecânica de gameplay requer paciência e cautela. Cada passo errado e atitude precipitada pode penalizá-lo, seja com uma armadilha ou um golpe mortal de alguma das dezenas de diferentes criaturas. E cada vez que você morrer perderá todas as suas almas e retornará para a última fogueira em que descansou. Se quiser recuperar as almas perdidas você deve retornar ao ponto em que morreu, sem morrer novamente, pois se acontecer de você bater as botas no percurso, pode dizer adeus a elas.

O level design de cada jogo da série merece aplausos. Tudo está interligado de alguma forma. Você não terá o famoso mapa ou mini mapa para se localizar. Para isso, será preciso que preste atenção nos locais por onde passar, mas fique tranquilo! Cada local foi pensado de forma singular para que você consiga assimilar sua localização de forma natural. É muito foda!

Os maiores desafios ficam a cargo dos chefes, cada um com sua característica de combate e movimento. Para derrotá-los é indispensável atenção e calma para estudar os momentos oportunos para atacar, defender e se curar. E pode respirar fundo, pois você vai morrer – e morrer muito. Mas, se sua perseverança e ódio trabalharem em harmonia, a satisfação alcançada em sobrepujar seu inimigo será incomparável. No meu caso, toda vez que conseguia derrotar um chefe, que já tinha tentado umas cinco vezes matar, a sensação era mais ou menos essa:

Dark Souls é realmente enaltecido em sua imersão. E isso aliado a uma direção de arte impecável e uma trilha sonora incrível. Jogar os games da franquia, principalmente o primeiro, com um headphone e luzes apagadas, com certeza irá lhe transportar para dentro daquele universo.

Cada pedacinho nos games da série tem um aspecto, uma personalidade, uma história para contar ou um desafio para superar. Isso fez com que, por várias vezes, eu parasse apenas para contemplar e tentar decifrar o que aquele lugar ou momento queria me dizer.

Como no vídeo acima, que mostra a luta com um dos vários chefes de Dark Souls 1. Cada item que o personagem está usando tem uma história. O lobo que ele esta enfrentando tem uma história, a espada que ele carrega na boca tem sua história, o local onde o combate acontece também tem uma história. Nada é em vão.

Se você não jogou, jogue. Sem pressa. Admire e analise cada fala, descrição ou paisagem que o game lhe oferecer e descubra porque Dark Souls se tornou um marco no universo game. Não só pela forma impiedosa que ele interage com os erros do jogador, mas por todo o contexto que o acompanha.

Dark Souls não é uma experiência apenas para ser jogada, é para ser apreciada e superada. E se você conseguir completar um dos games da trilogia, os desafios terão um novo patamar de dificuldade para você.

CURIOSIDADES:

Se você já jogou os jogos, veja esses dois vídeos feito pelo canal MoonlightButterfly, que reúne os principais diálogos e momentos dos jogos, editando-os como se fossem um filme:

Dark Souls 1 / Dark Souls 2

Herick Zerunian

Publicitário, nas horas vagas caçador de monstros, assassino de templários, matador de dragões, sobrevivente de apocalipse nuclear. Deus = vida = Bacon.

Comments

comments

, , , , ,
Herick Zerunian

About Herick Zerunian

Publicitário, nas horas vagas caçador de monstros, assassino de templários, matador de dragões, sobrevivente de apocalipse nuclear. Deus = vida = Bacon.
View all posts by Herick Zerunian →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.