R. Sigma voltou?

Talvez muitos não lembrem da banda, e não é para menos. O R. Sigma anunciou o hiato no auge ou no começo de sua ascensão.

Nos anos 2000, aqui no Brasil, reinava o hardcore melódico. Curtia? Sim. Só que não aguentava mais. Ouvia mais gente morta do que viva nessa época. E já acabando a década, duas bandas me fizeram ter esperança no rock Br: R. Sigma e Vivendo do Ócio. Coincidência ou não, as duas participaram de concursos que deram um up em suas carreiras, mas não foi esse motivo de ambas terem alcançado o sucesso. Enfim, vamos focar no R. Sigma dessa vez.

 

Nova vibe

Por Fernando Schlaepfer

Não posso dizer que o R. Sigma era melhor que as outras bandas; tudo é questão de vibe, né? Mas, naquele momento, eles vinham com uma nova sonoridade, nova estética com melodias e letras diferentes do que tocava exaustivamente por aí. Eu curti demais!

Será que eles foram responsáveis pela “popularização” dos indies Br? Talvez.

 

Caso raro

Por Fernando Schlaepfer

Em 2009, lançaram Reflita-se. Por mais que eu ame uma banda, dificilmente vou curtir mais que três ou quatro músicas de um álbum. Reflita-se é um caso raro. Eu curti da primeira à última. Na época, pirei um pouquinho, confesso. Hoje, curto algumas, outras nem tanto assim.

Além da Sobre Trunfos e Bandeiras, as músicas Artificial, O Mito do Insubstituível, Precipício, Amém e De Nós pra Nós merecem ser ouvidas.

 

Volta?

Por Fernando Schlaepfer

Nesse ano eles colocaram o álbum no spotify, e eu estava ouvindo esses tempos sem saber que iam voltar. Na verdade, eles voltaram pra fazer dois shows, um em São Paulo e outro no Rio de Janeiro, terra dos meninos.

Eu fiquei puta da vida quando anunciaram seu fim. Tinha tudo pra fazer mais álbuns fodas com esse primeiro. Mas aí, tchau, acabou, falow.

No Facebook da banda foi postada uma música nova, Pulsar, e eu torço pra que isso seja o retorno definitivo da banda.

 

Vamo vê.

 

Quem curtiu dá para ouvir:

Spotifly | Soundcloud

E acompanhá-los:

Facebook 

Post passado falei sobre a banda Dorothy,leu? 🙂

Taiane Campos

Pode chamar de Tai, ninguém lembra do resto. Publicitária formada. Designer gráfico por paixão. Marqueteira pelo pão (de cada dia). Baixista que usa palheta

Comments

comments

About the Author

Taiane Campos
Taiane Campos

Pode chamar de Tai, ninguém lembra do resto. Publicitária formada. Designer gráfico por paixão. Marqueteira pelo pão (de cada dia). Baixista que usa palheta